Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Augusta Aguiar marca presença na apresentação do projeto ‘Adota um avô’

Augusta Aguiar, Secretária Regional de Inclusão Social e Cidadania esteve hoje presente na apresentação do projeto ‘Adota um Avô’, resultado de uma parceria entre a União das IPSS e a Escola da APEL. 04-11-2020 Inclusão Social e Cidadania
Augusta Aguiar marca presença na apresentação do projeto ‘Adota um avô’

Na ocasião, teve a oportunidade de referir que “o projeto ‘Adota um Avô’ está perfeitamente enquadrado no objetivo estratégico do Governo Regional, de valorização e proteção da população idosa. Iniciativas como esta são de louvar, e contam com o nosso total apoio”.

 

Constitui uma prioridade do Governo Regional, a promoção e apoio a projetos que promovem o envelhecimento ativo, o convívio intergeracional, a integração na sociedade e a estimulação de capacidades cognitivas da população idosa.

 

Neste projeto em particular, a União das IPSS e a Escola da APEL uniram-se, de forma a proporcionar uma experiência de grande valor à população idosa, em que os jovens alunos da escola terão um papel ativo.

 

Numa primeira fase do projeto, os jovens irão receber formação na área da assistência ao envelhecimento ativo, de forma a torná-los aptos a participar nas seguintes fases. A segunda fase irá consistir num atelier de artes, para partilha de culturas e saberes, durante o qual jovens e idosos poderão trocar experiências e saberes numa verdadeira experiência intergeracional, com toda a riqueza de conhecimentos e troca de experiências que proporciona. A terceira atividade “Adota um avô”, visa proporcionar aos idosos, que vivem sozinhos, momentos de convívio diário e companhia, por parte dos alunos da Escola da APEL.

 

A governante realçou ainda que “o projeto ‘Adota um Avô’ é um excelente exemplo do rumo que devemos seguir enquanto agentes construtores de uma sociedade mais solidária, mais humana e mais capaz, pelo que esta é mais uma das muitas iniciativas louváveis da União das IPSS, em prol da nossa população idosa. Realçar também a escola da APEL, que contribui com a sua envolvência neste projeto para o fomento da intergeracionalidade e da partilha de saberes e conhecimentos. Os jovens assumem assim um papel mobilizador de uma cidadania presente, e de mensageiros de partilha salutar e rejuvenescedora com os mais idosos”.

 

Aproveitou, ainda, a ocasião para agradecer o trabalho incansável das Instituições Particulares de Solidariedade Social, em estreita parceria com o Governo Regional, na prestação de respostas sociais à população mais vulnerável. Um trabalho em rede em prol não apenas da população idosa, como também das pessoas em situação de carência económica, crianças e jovens em risco, pessoas portadoras de deficiência, pessoas em situação de sem-abrigo, entre outras.

 

Neste contexto de pandemia, e desde a primeira hora, estas instituições desempenharam um papel absolutamente crucial no combate à disseminação da COVID-19, e no sucesso das medidas de prevenção implementadas na nossa Região. Isto representou um enorme esforço, não só em termos humanos, como também financeiros.

 

Um esforço que foi reconhecido pelo Governo Regional que, através de um reforço excecional de 2 % dos apoios concedidos através do Instituto de Segurança Social da Madeira às IPSS, mas também através da criação do Fundo "Social Ajuda+", tem procurado compensar todo o esforço financeiro extraordinário destas instituições no combate à pandemia da COVID-19, com um acréscimo total de apoios em 2020 que ascende a cerca de 3 milhões de euros.

 

Em jeito de conclusão, Augusta Aguiar desejou ainda “que o projeto ‘Adota um Avô’ seja um sucesso, e sirva de mote para futuras iniciativas, que complementem o trabalho do Governo Regional na proteção, valorização e promoção de um envelhecimento ativo dos nossos idosos. Continuaremos a trabalhar em rede, a reforçar os apoios e valências das IPSS e entidades equiparadas, potenciando sinergias, sempre em prol da população mais vulnerável.”


Anexos

Descritores