Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Rita Andrade assume Desenvolvimento Local com “sentido de dever e responsabilidade”

A Casa do Povo do Caniço contou com casa cheia para a tomada de posse dos novos órgãos sociais, numa cerimónia que serviu de passagem de testemunho à nova direção que toma hoje posse 25-11-2021 Inclusão Social e Cidadania
Rita Andrade assume Desenvolvimento Local com “sentido de dever e responsabilidade”

Nélson Freitas é o novo Presidente da instituição, sucedendo a Damião Coelho que passa a Presidente da Assembleia Geral.

 

No seu último discurso como Presidente da Casa do Povo, Damião Coelho fez questão de recordar um momento em especial, mais precisamente, aquando da sua última tomada de posse, em 2018. Segundo o Presidente cessante “foi uma altura muito difícil para esta instituição porque não tinha instalações próprias e foi através da Secretária Regional, Rita Andrade, que conseguimos encontrar novas instalações”. Por esse motivo, o novo Presidente da Assembleia Geral dirigiu o seu “mais profundo agradecimento ao Governo Regional, em especial à Secretária Regional de Inclusão Social e Cidadania”.

 

Já Nélson Freitas, o novo Presidente hoje empossado, enalteceu o trabalho desenvolvido pela equipa cessante e destacou o objetivo de, num futuro próximo, equiparar a Casa do Povo a Instituição Particular Solidariedade Social “de forma a dar uma resposta mais eficaz e qualificada à população local”.

 

Já Rita Andrade, em representação do Presidente do Governo Regional, marcou presença nesta que foi a sua primeira tomada de posse de uma Casa do Povo enquanto Secretária Regional de Inclusão Social e Cidadania, fez questão de referir que é “com enorme satisfação” que assume o compromisso do Desenvolvimento Local junto das Casas do Povo - “já o tinha feito no passado e volto a encarar este desafio com sentido de dever e responsabilidade, ciente de que é através do trabalho em equipa que conseguimos, Governo Regional e Casas do Povo, num trabalho de muita proximidade, chegar mais longe”. 

 

Na ocasião, Rita Andrade, endereçou o seu profundo agradecimento à direção cessante: “fizeram muito nestes 24 anos de existência. Trata-se de uma Casa do Povo que conseguiu criar uma identidade cultural. Um trabalho de reconhecido valor para o Governo Regional”.

 

Sobre desafios futuros, Rita Andrade garante que tudo o que estiver ao alcance do Governo Regional, será feito: “é para isso que cá estamos”.

 

Esta instituição nasce de um contexto social de crescimento urbano que culmina com a elevação da vila à categoria de cidade. Essa particularidade implicou uma atenção muito especial à dinamização sócio cultural local. Desde então, tem sido um dos principais elementos de dinamização cultural da cidade do Caniço. Conta com um núcleo museológico onde está patente a exposição permanente - “Caniço: de Campo a Cidade”, que define o trajeto da cidade ao longo das últimas décadas. Para além da exposição permanente, o núcleo museológico é também um espaço onde são desenvolvidas várias atividades, tais como palestras, aulas de ginástica, dança, música e ações de formação profissional.

 

De referir ainda que a Casa do Povo do Caniço tem à sua disposição um Polo de Emprego e é parceira do Governo Regional no Fundo de Apoio Regional às Organizações Locais (FAROL).

 


Anexos

Descritores