Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Secretário de Mar e Pescas convidado a dar "Uma aula diferente de Geografia" na Escola da APEL

“Como é que a Madeira se está a preparar para fiscalizar a grande extensão de mar que terá quando a plataforma continental portuguesa for estendida?” – disparou o aluno do 11.º ano da Escola da APEL para o secretário regional. 21-10-2020 Mar e Pescas
Secretário de Mar e Pescas convidado a dar "Uma aula diferente de Geografia" na Escola da APEL

“Como é que a Madeira se está a preparar para fiscalizar a grande extensão de mar que terá quando a plataforma continental portuguesa for estendida?” – disparou o aluno do 11.º ano da Escola da APEL para o secretário regional de Mar e Pescas, durante a aula que Teófilo Cunha foi convidado a dar esta terça-feira, subordinada ao tema “Uma aula diferente de Geografia”, com o foco no mar e nas pescas .

 

Teófilo Cunha, didático, respondeu que quando “mudamos de uma casa pequena para uma casa grande, temos de dispor de mais meios, assim terá de ser com o nosso mar, que não é apenas da Madeira, é o mar de Portugal e aí o país, no seu todo, terá de garantir os meios para fiscalizar aquilo que é nosso”.

 

O secretário regional de Mar e Pescas aproveitou para explicar a recente legislação para a gestão partilhada do mar português, envolvendo o continente, Madeira e Açores. Incentivou os jovens a terem outra forma de olhar o mar, pediu-lhes para tomarem o futuro nas mãos, serem intervenientes ativos na redução do lixo marinho, na preservação dos oceanos e no aproveitamento responsável e sustentável das suas potencialidades.  

 

Apresentou números que falam por si, apoiando-se em gráficos. Sobre o crescimento exponencial da população mundial e a redução abrupta dos recursos marinhos, em particular das espécies de peixe selvagem. “Deixamos de conseguir assegurar as necessidades de consumo de peixe mundial apenas com base na captura marinha”, alertou. “Daí precisarmos de alternativas, e aquela que se tem desenvolvido de forma sustentável e responsável em todo o mundo, é a aquacultura, que é recomendada pelas Nações Unidas e pela União Europeia.”

 

Teófilo Cunha mostrou a importância das reservas marinhas da Região, explicou a utilidade da gestão do espaço marítimo, e por que razão a Madeira tem quotas para a captura do atum e do peixe-espada. “Dessa maneira, nós também contribuímos para a preservação das espécies”, disse.

 

No final, o diretor geral da APEL, padre Fernando Gonçalves, a professora de Geografia, Sara Miguel, e o aluno Ângelo Lourenço, da organização do evento, agradeceram a presença do secretário regional de Mar e Pescas. 


Anexos

Descritores