Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

"Corredor Verde" pretende tornar as viagens mais fáceis

O Secretário Regional de Turismo e Cultura disse ao jornal The Guardian que “todos têm o direito de viajar” pelo que “o nosso maior objetivo é tornar a vida das pessoas mais fácil”. 31-03-2021 Turismo e Cultura
"Corredor Verde" pretende tornar as viagens mais fáceis

Eduardo Jesus falava do “Corredor verde” no Aeroporto da Madeira para o qual sublinhou: “Sentimos a necessidade de tomar esta decisão porque estamos olhando para a realidade, que é que os mercados estão fervilhando em termos de vontade de viajar.” 

O governante referiu igualmente que há um grande interesse da população do Reino Unido em visitar a Madeira, pelo que se acontecer como previsto “teremos um verão que nos permitirá recuperar de tudo isto”.

O “Corredor verde” constitui uma forma de incentivar ao turismo, sendo que, através da apresentação do certificado de vacinação ou do comprovativo de recuperado da Coivid-19 até 90 dias, mais turistas passam a ser elegíveis de entrada direta, sem necessidade de testagem na Madeira.

A decisão representa um voto de confiança na nova fase que o mundo está a viver, para além de incentivar as visitas à ilha e ser um estímulo à atividade económica, enquanto se mantém o destino seguro.

Para serem elegíveis, os turistas que se insiram nestas novas condições têm de comprovar o seu estado atual através de um de dois documentos. O comprovativo de vacinação e o comprovativo de recuperado devem ser submetidos na app madeirasafe.com antes da realização da viagem, em língua inglesa para estrangeiros.

O passaporte ou certificado de vacinação tem de ser validado pelo respetivo país de origem e fazer constar nome, data de nascimento, número de saúde, tipo e data do teste, tipo de vacina, data das duas tomas realizadas e o respeito pelo período de imunização de acordo com a bula de cada vacina.

Além disso, os passageiros recuperados da covid-19 têm de apresentar um documento, válido por 90 dias, que comprove a sua recuperação.


Anexos

Descritores