Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Governo Regional apoia associações culturais

O Governo Regional aprovou em Conselho de Governo a celebração de nove protocolos de desenvolvimento e cooperação cultural com diversas associações da Região Autónoma da Madeira no valor de 58.000 euros. 10-05-2021 Turismo e Cultura
Governo Regional apoia associações culturais

O Governo Regional aprovou em Conselho de Governo a celebração de nove protocolos de desenvolvimento e cooperação cultural com diversas associações da Região Autónoma da Madeira no valor de 58.000 euros.

 

O apoio governamental tem como objetivo o desenvolvimento de atividades que contribuem para o incremento da qualidade e diversidade da oferta cultural da Região bem como para a promoção e divulgação da Madeira enquanto destino de cultura.

O XIII Programa do Governo refere que a Cultura é pedra basilar da identidade de um território e respetiva comunidade, oferecendo um sentido de pertença e unidade. Importa à Região, por um lado, identificar, estudar, salvaguardar, promover e divulgar a sua herança cultural, e por outro, prosseguir as medidas impulsionadoras de um papel criador e contemporâneo nas prioridades das políticas e estratégias deste sector, partindo do local para o global, de produção de conhecimento e conteúdos, que sejam benefícios na coesão social e na criação de riqueza e desenvolvimento da Região.

Os protocolos autorizados abrangem áreas distintas da Cultura como etnografia, música tradicional e música eletrónica, exposição de fotografia temática bem como ações de formação sobre música popular e o desenvolvimento do gosto e apetência pela investigação nos domínios da cultura tradicional e  têm como  particularidade,  incluírem vários concelhos da Região, nomeadamente Funchal, Câmara de Lobos, Ponta do Sol e Porto Santo.

desenvolvido pelas associações na pesquisa e divulgação de músicas tradicionais madeirenses, o ensino de instrumentos musicais típicos da Região Autónoma da Madeira, bem como a promoção de ações de formação sobre música popular e o desenvolvimento do gosto e apetência pela investigação nos domínios musicais da cultura tradicional.

 

São nove as associações culturais que beneficiam:

- ‘ALESTE- Associação Cultural’, que se prepara para realizar em 2021 mais uma edição do Festival ALESTE, um projeto que que inclui espetáculos e concertos por diferentes artistas e estilos musicais.

- ‘ComCordas’, associação que pretende dinamizar concertos produzidos por  crianças e jovens no concelho de Câmara de Lobos inseridos no ciclo “Há sons na Capela”, que se iniciaram em 2019 na Capela de Nª Srª do Calhau, imóvel classificado como de interesse municipal mandado construir por João Gonçalves Zarco no século XV, sendo a primeira a ser construída na Madeira. Saliente-se que esta associação, neste ano em que celebra 13.º aniversário, pretende, numa política de descentralização cultural, realizar um concerto no Porto Santo.

- “Grupo de Folclore e Etnográfico da Boa Nova”, associação que mantém paralelamente à atividade artística e desde 2007, o Núcleo Museológico de Arte Popular, espaço que reúne um vasto espólio de artefactos e utensílios dos usos e costumes do povo madeirense. Esta associação propõe-se a dar continuidade ao projeto de investigação, inventariação e legendagem do referido espólio.

- “Grupo de Folclore de Ponta do Sol”, que irá produzir e realizar uma Exposição de Fotografia Temática sobre o Festival Internacional de Folclore e editar um livro no âmbito dos 40 anos do grupo “Ponta do Sol- História e Tradição”.

Agência de Promoção da Cultura Atlântica (APCA) responsável pela edição do Festival MADEIRADIG, dedicado à música eletrónica e experimental que se realiza desde 2004.

- ‘Associação de Teatro Amador do Livramento’, que este ano pretende dar continuidade às atividades de animação lúdico – pedagógico no Jardim de Santa Luzia e que contribuem para a promoção e divulgação do teatro, da dança e das artes circenses.

- ‘Associação Aura’ na produção e realização de um documentário que apresenta como mote central os cordofones tradicionais, um projeto que contribui para a promoção e divulgação da música tradicional e dos músicos que na Região Autónoma da Madeira se dedicam a esta área.

AIC – Associação de Indústrias Criativas realiza em 2021 a 2ª Edição da Cimeira Cultural do Atlântico, projeto em parceria com Cabo Verde, o que permite reforçar laços sociais, culturais e económicos e contribuir para a promoção cultural junto dos países de língua portuguesa.

Eduardo Luís Mendes Rodrigues ator e encenador e que se propõe a desenvolver e executar o “Projeto de Teatro de Formação”, tendo como objetivo valorizar a arte, a educação e a cultura pelo teatro, apostando na qualificação dos artistas que atuam por conta própria ou integrados em grupos de teatro.

 

 A autorização da realização dos nove protocolos teve como fundamento o trabalho No entendimento do Secretário Regional de Turismo e Cultura, “estas associações têm dado um importante contributo para o conhecimento, preservação e divulgação do património cultural da Madeira e do Porto Santo” pelo que “vamos continuar a proporcionar todos os apoios necessários para que possam continuar a prosseguir os seus trabalhos porque, desta forma, não só estão a dar asas à sua criatividade e a alcançar o que projetam como também estão a contribuir para o enriquecimento cultural da população da Madeira”.

Daí que Eduardo Jesus sublinhe que “a política de apoios prosseguida pelo Governo Regional na área da Cultura tem sido uma prioridade constante e assim vai continuar”.

 

O Secretário Regional de Turismo e Cultura releva “a atribuição de mais estes apoios que se integram na estratégia do Governo para a valorização cultural a nível da identidade regional, do património e da oferta diversificada, fatores imprescindíveis para a promoção de divulgação da Região”. Além disso, Eduardo Jesus destaca “o papel relevante das associações enquanto veículos dinamizadores na área da Cultura e de cooperação entre entidades públicas e privadas, pelo que o Governo continuará sempre a apoiá-las porque estaremos a potenciar cada vez as suas concretizações e, consequentemente, estamos a contribuir para o incremento que se pretende de uma diversidade cultural que nos distingue e valoriza ainda mais a nossa oferta neste setor tão importante”.

 

 


Anexos

Descritores