Este sítio utiliza cookies para facilitar a navegação e obter estatísticas de utilização. Poderá consultar a nossa Política de Privacidade aqui.
Pesquisar

Museu Etnográfico da Madeira expõe vestido de vimes

Peça criada pelo madeirense Tiago Gonçalves foi adquirida pela DRC para integrar o acervo daquele museu 12-10-2022 Turismo e Cultura
Museu Etnográfico da Madeira expõe vestido de vimes

O Museu Etnográfico da Madeira (MEM), espaço tutelado pela Secretaria Regional de Turismo e Cultura, através da Direção Regional de Cultural, viu recentemente o seu acervo ser reforçado com uma peça contemporânea feita em vimes. Trata-se de um vestido feito nesse material, uma criação do designer Tiago Gonçalves que foi apresentada originalmente ao público em abril último.

Tiago Gonçalves é um artista emergente da Região, que se iniciou no mundo da moda aos 14 anos e cedo criou o evento Mega Fashion Show no âmbito do Festival de Arte Camachense. Ao nível regional, tem vindo a se destacar em vários eventos coletivos e individuais e ao nível nacional tem ganho cada vez mais espaço em eventos ou criando para personalidades como é o caso de Cuca Roseta

No seu trabalho, Tiago Gonçalves procura juntar tradição e inovação, incorporando nas peças o bordado-madeira, mas sobretudo a obras de vimes, apresentando formas contemporâneas de apresentar esta tradição.

Este ano, no âmbito da apresentação da curta metragem Insula, de André Pereira, foi lançado o desafio para que criasse uma peça única que honrasse essa tradição, aquilo que Tiago refere como a “arte e sustento” dos seus ancestrais. Foi assim que criou o vestido que foi apresentado aquando da estreia da curta-metragem

A peça acabou por ser adquirida pela Direção Regional de Cultura para que fizesse parte do acervo do Museu Etnográfico da Madeira, para ser exposto como um exemplo de como é possível recuperar e reavivar as tradições regionais.

A revelação da peça aconteceu recentemente numa cerimónia que contou com a presença do artista. Na ocasião, Tiago Gonçalves começou por agradecer à Secretaria Regional de Turismo e Cultura o interesse pela sua criação e afirmou ser “um privilégio” não só a aquisição, mas sobretudo o facto de agora a peça estar exposta e pertencer a um museu que muito tem

feito pelas tradições e cultura regionais. “As minhas raízes estão na Camacha. O meu berço foi de vimes, feito pelo meu pai, e tenho pena que esta cultura do vime esteja a acabar. Então, sempre que posso, incluo o vime na minha arte, que é a moda, e o que puder fazer em prol desta cultura, em termos de instalações ou outros projetos, certamente que continuarei a fazer”, disse.

 

Já o Secretário Regional de Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, começou por agradecer e enaltecer este espírito de Tiago Gonçalves em relação a uma tradição regional e a capacidade do artista em, através de uma cultura secular, criar peças de artesanato moderno ou incorporar o vime nas suas criações. “Quando vi esta peça pela primeira vez, não tive dúvidas que o lugar dela seria aqui, neste museu, porque esta criação transporta a origem, a tradição, uma história muito forte para a Madeira”, disse o governante. “Este vestido, esta peça, é um registo dessa passagem, da indústria tradicional em que o vime era utilizado para funções como mobiliário ou outras, para um momento em que este material tem outro espaço, mais ligado ao design, à moda, aos acessórios. Esta transição está bem incorporada nesta criação de Tiago Gonçalves”.

Eduardo Jesus referiu ainda que tem existido o cuidado por parte da direção do MEM de, regularmente, fazer aquisições que enriqueçam o acervo deste museu, “para que seja constantemente renovado e se torne o mais abrangente possível, no que à etnografia diz respeito”.

 

O vestido está em exposição no MEM até ao próximo dia 12 de novembro, sendo certo que, sempre que esteja relacionado com exposições temporárias e temas, a peça voltará a ser exposta.


Anexos

Descritores