Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Secretário Regional revela nova Divisão de Serviços da Qualificação Turística

O secretário regional de Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, revelou ontem à noite no cocktail tradicional de Natal oferecido ao setor, que, pela primeira vez, e fruto da aprovação da nova orgânica da Secretaria Regional de Turismo e Cultura, no seio da Direção Regional do Turismo, “passamos a ter uma Divisão de Serviços da Qualificação Turística. Esta é uma aposta clara e inequívoca no produto Madeira”. Explicou que a divisão de serviços vai ter a responsabilidade de olhar para “os nossos instrum 12-12-2019 Turismo e Cultura
Secretário Regional revela nova Divisão de Serviços da Qualificação Turística

Com as salas cheias no Colégio dos Jesuítas, onde decorreu o convívio, o governante reconheceu que muito já foi feito, mas que quer mais. Nesse âmbito, realçou que houve uma decisão e um empenho forte do reforço da promoção da Madeira em 3,5 milhões de euros já para 2020, “o que significa aumentar, de uma vez só, 35% do Orçamento da promoção. Se atendermos a que o investimento que o Governo fazia na promoção na Associação de Promoção em 2015 era de 1,5 milhões de euros, multiplicou-se este valor por sete no espaço de cinco anos. E este é um compromisso que deixa bem claro a aposta que o Governo Regional tem vindo a fazer no setor do Turismo”.

O secretário Regional falou ainda das acessibilidades. Disse que numa região como a nossa, insular, isolada no Atlântico, depende exclusivamente de uma porta de entrada, que é o Aeroporto, “tem merecido da nossa parte uma grande atenção. Uma atenção que tem levado a contactos permanentes num trabalho continuado de planos específicos com operadores aéreos, com a ANA, com operadores turísticos, com o Turismo de Portugal, com quem estamos a fazer um trabalho profundíssimo, e que pensamos começarão a surgir os primeiros resultados talvez no segundo semestre do próximo ano”.

A nível da operacionalidade da infraestrutura aeroportuária madeirense disse estar convicto que estão a ser dados “passos muito importantes para minimizar o impacto aos passageiros”. Lembrou que a situação da última semana no Aeroporto da Madeira, em que os ventos fortes levaram a constrangimentos na operação, “revela bem a coordenação que existe hoje em dia a este nível entre variadíssimas entidades, desde a NAV, que tomou uma posição firme, importante para o desenrolar de toda aquela circunstância”. Referiu o seu caso que o motivou a ficar em Lisboa sendo informado permanentemente pela TAP do que se estava a passar com os voos. “Isso significa que há um avanço muito grande também na comunicação aos passageiros, procurando que haja o menor incómodo possível”.

No entanto, Eduardo Jesus evidenciou que quer trabalhar a montante. “É aí que estão envolvidas entidades como a NAV, a ANAC, a ANA, para resolvermos os problemas que impõem limitações muito grandes a esta infraestrutura. Está em curso, demorará o seu tempo, mas que, naturalmente, dará os seus frutos”.

O secretário regional de Turismo e Cultura começou a sua intervenção agradecendo a presença dos convidados no cocktail de forma tão expressiva, a representarem o setor. Disse que era também um momento de felicitação pelo enorme contributo que o setor tem dado à Madeira. “Um contributo de natureza económica, social, mas igualmente muito forte ao nível da notoriedade que a Madeira tem hoje lá fora”.

Referiu ser através de cada um dos que ali estavam que se constrói a imagem e a notoriedade da Madeira no exterior. “Nunca, como hoje, a Madeira tem sido tão divulgada, promovida e conhecida e isso deve-se, naturalmente, ao vosso trabalho”.

Complementou que “talvez seja exatamente por isso que são os primeiros merecedores do reconhecimento que o destino teve este ano. A Madeira conseguiu fazer o pleno com os prémios de ‘Melhor Destino Insular da Europa’, ‘Melhor Destino Insular do Mundo’ e ‘Melhor destino Emergente do Golfe’. É a primeira vez que acontece, e é também o único destino no mundo que consegue, sucessivamente, obter este reconhecimento. Isso não é motivo de vaidade, mas uma grande oportunidade para darmos a conhecer a nossa terra que gostamos e, simultaneamente, para assumirmos, em consequência disso, uma grande responsabilidade de manter este nível de excelência que conhecemos”.


Anexos

Descritores