Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Deveria haver um tratamento diferenciado na questão dos corredores aéreos com o Reino Unido

O secretário regional de Turismo e Cultura disse hoje na TVI 24 que deveria haver um tratamento diferenciado com a Madeira e as regiões portuguesas na questão dos corredores aéreos com o Reino Unido. 28-06-2020 Turismo e Cultura
Deveria haver um tratamento diferenciado na questão dos corredores aéreos com o Reino Unido

Eduardo Jesus começou por referir ao canal de televisão que a Madeira teve um desempenho notável no controlo da pandemia e que a Região foi a primeira do país a criar um Manual de boas práticas para o setor do turismo e a única a implementar o controlo sanitário de destino seguro. Além disso, recordou que a partir de 1 de julho, serão feitos testes nos aeroportos da Madeira e do Porto Santo aos passageiros que não os trouxerem, realidades que, no seu conjunto, contribuem para o que disse ser o grande desafio neste momento que é o de recuperar a confiança das pessoas que querem viajar.

Por isso mesmo, sublinhou que o Governo Regional tem vindo a lutar diariamente para que a Madeira seja tratada de forma diferente no caso dos corredores aéreos do Reino Unido, fazendo ver que existem situações epidemiológicas diferentes em Portugal, com a particularidade de grande parte da operação entre o Reino Unido e Madeira ser direta, a saírem de oito das nove bases inglesas. Como complemento, referiu que, neste momento, existem já várias operações montadas com o Reino Unido.

Houve oportunidade de falar igualmente do mercado nacional com Eduardo Jesus a reforçar a campanha que está a ser feita, denominada “Portugal Tropical”, com as virtudes da tropicalidade de um destino único em Portugal que está tão perto e que alia igualmente a montanha, o mar e o grande fator diferenciador que é a cultura.

À campanha, Eduardo Jesus lembrou a escolha da Madeira como “Destino Preferido” pela APAVT e ainda o trabalho profícuo que continua a ser desenvolvido com os operadores turísticos.


Anexos

Descritores