Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Arquivo da Foto Liz é “de uma riqueza extraordinária”

Eduardo Jesus esteve presente ontem na cerimónia de assinatura de contrato de depósito formalizado entre a SRTC/DRABM e os herdeiros de Manuel Gonçalves Rosado 18-11-2021 Turismo e Cultura
Arquivo da Foto Liz é “de uma riqueza extraordinária”

“Estou feliz, porque finalmente o trabalho do meu pai está salvaguardado”. As palavras foram proferidas por Sílvia Rosado, filha e herdeira de Manuel Gonçalves Rosado, que ontem formalizou o contrato de depósito com a Secretaria Regional de Turismo e Cultura, através da Direção Regional do Arquivo e Biblioteca da Madeira, para a entrada do arquivo da “Foto Liz” no ABM.

Presente na cerimónia, o secretário regional, Eduardo Jesus, salientou que “poder incorporar uma coleção desta dimensão é enriquecer toda a oferta que a Madeira tem ao nível da Fotografia, porque a “Foto Liz” é uma casa incontornável na história da fotografia, uma casa que produziu durante largas décadas registos fotográficos, e isso para nós é de uma riqueza extraordinária.”

O governante aproveitou ainda para agradecer esta doação, fazendo um elogio à atitude altruísta dos herdeiros de Manuel Gonçalves Rosado e recordou que “este tipo de memória que está guardada em fotografias precisa de ser cuidada. E para ser cuidado, preservado e disponibilizado às pessoas” é necessário um trabalho de preparação que é garantido pelos profissionais da DRABM.

“Com esta doação, estamos a aumentar a nossa memória e o nosso espólio”, disse ainda Eduardo Jesus.

A “Foto Liz” iniciou atividade em 1949, tendo sido o primeiro espaço do género naquela zona da cidade. O estúdio fotográfico esteve sempre no mesmo local, à Rua Fernão Ornelas, 6, tendo encerrado em 2001 com a morte do seu proprietário, Manuel Gonçalves Rosado.

O conjunto documental agora doado contém cerca de 60 mil fotografias, 27 livros e 21 pastas. O arquivo daquela casa fotográfica é constituído, na sua esmagadora maioria, por negativos, mas também contém provas. Inclui alguma documentação de arquivo, nomeadamente livros de âmbito contabilístico e alguma correspondência. Relativamente às fotografias disponíveis destacam-se os tradicionais retratos de estúdio, tipo B.I., as reportagens de batismos, casamentos e 1.ª comunhões, entre outros eventos. Após tratamento, que inclui atividades de descrição, catalogação e digitalização, o arquivo ficará disponível à consulta pública, pela via digital, através das plataformas de pesquisa do ABM.

 


Anexos

Descritores