Porto Santo será a primeira “ilha inteligente” do mundo

Governo Regional está a trabalhar com vários parceiros nas soluções que permitirão dar resposta à revolução tecnológica no setor da energia e da mobilidade 11-04-2018 Vice-Presidência
Porto Santo será a primeira “ilha inteligente” do mundo

 

O Vice-presidente do Governo Regional, Pedro Calado, presidiu hoje à apresentação pública da cooperação entre a Empresa de Eletricidade da Madeira e a Empresa Renault, no âmbito da criação de uma solução de mobilidade sustentável a partir do desenvolvimento de um ecossistema elétrico na ilha do Porto Santo.

De acordo com o governante, trata-se de um projeto que vem reforçar e consolidar as várias medidas estratégicas que têm vindo a ser desenvolvidas pelo Governo Regional, no que respeita à promoção da sustentabilidade ambiental, social e económica do Porto Santo, transformando-o num território sem combustíveis fósseis e emissões quase nulas de dióxido de carbono.

“O que se pretende é encontrar um novo rumo que atenda a questões que revertam a favor de uma melhor gestão dos recursos naturais existentes, transformando o Porto Santo na primeira smart Island, na primeira “ilha inteligente” do mundo”, realçou Pedro Calado.

Como explicou também, a apresentação pública, que hoje se concretizou, constitui apenas uma componente do trabalho que, neste campo, está a ser realizado na Região e encontra-se integrada numa estratégia global para o desenvolvimento sustentável daquele território e que é defendida no âmbito do Projeto “Porto Santo Sustentável – Smart Fossil Free Island”.

Neste sentido, salientou o Vice-presidente, a Empresa de Eletricidade da Madeira, o Grupo Renault e outros parceiros estão a trabalhar, desde o início do ano, em laboratório verdadeiro, nas soluções que permitirão dar resposta à revolução tecnológica que se está a experienciar no setor da energia e da mobilidade, criando-se na Região competências técnicas únicas, somente possíveis de adquirir num ambiente real e controlado como o que está a ser criado.

Estas opções serão avaliadas tecnicamente e economicamente, servindo como prova de conceito, sendo intenção do Governo Regional, e após esta primeira experiência no Porto santo, implementar a solução a todo o arquipélago da Madeira.

“Com esta visão, a Região pretende preparar-se, de forma gradual, controlada e sustentada para o objetivo cada vez menos utópico de sustentabilidade energética”, defendeu Pedro Calado.