Vice-Presidente destaca investimentos arrojados com apoios do Governo Regional

O vice-presidente do Governo Regional destacou, esta manhã, o elevado nível de profissionalismo do Grupo Vétmedis. Pedro Calado, que falava à margem de uma visita ao Hospital Veterinário da Madeira, fez questão de destacar o “investimento muito arrojado para a Região, mas que valeu a pena”. 09-05-2018 Vice-Presidência
Vice-Presidente destaca investimentos arrojados com apoios do Governo Regional

Esta visita, disse Pedro Calado, serve também para dizer que “com o apoio financeiro, sobretudo o aproveitamento de fundos comunitários que o Governo Regional fez, o Grupo Vétmedis candidatou-se em boa hora e foi possível fazer este investimento”.

Hoje, acrescentou o vice-presidente do Governo Regional, “nós temos a certeza que na Madeira, para qualquer tipo de animal doméstico, para qualquer intervenção que haja, temos uma clínica muito bem apetrechada, ao nível das melhores clínicas que existem a nível nacional, ou europeu”.

Na oportunidade, Pedro Calado destacou também “a preocupação dos empresários em dotar a Região com equipamentos muito sofisticados. Têm aqui um quadro profissional técnico muito bom. Cerca de 11 médicos e enfermeiros também. Houve a preocupação de cuidar não só dos animais, mas também a preocupação do utente”, em termos de conforto e eficiência. Destacou, igualmente, a preocupação com a utilização de energias limpas, como o aproveitamento de energias renováveis e um posto de carregamento elétrico para viaturas automóveis.

Tal como afirmou, “houve aqui uma grande parceria entre o investimento financeiro que o Governo Regional fez para ajudar o investimento e esse investimento, por sua vez, traduz-se numa melhoria qualitativa, não só para o tratamento dos animais, mas também das pessoas que aqui trabalham e que aqui vêm com os animais para serem tratados”. O que, em seu entender, é um sinal mais do que evidente de uma melhoria da qualidade de vida para os animais e para os seus donos.

Duarte Correia, do Hospital Veterinário da Madeira, realçou que “este foi um projeto que foi pensado durante vários anos e que tem a sustentação do resto do grupo Vétmedis. Nós fomos crescendo nas unidades e fomos vendo que havia a necessidade de uma estrutura diferente daquelas que há na Região, não só em tamanho, mas acima de tudo em termos de tecnologia e é por isso que surge esta unidade com meios complementares de diagnóstico que não existiam na Madeira”.

Em termos de procura, Duarte Correia recorda que aquela unidade está aberta há cerca de nove meses e que têm tido uma boa procura, acima das expetativas iniciais. Tal como afirmou, “tem sido uma procura muito acima do que imaginávamos, estamos a falar em aumentos na ordem dos 20 a 30% da procura. E, de facto, o que se notou é que nós oferecemos algo diferente ao cliente e o cliente sabe que é verdade e adere. E, portanto, é este binómio que nos faz acreditar que este foi um bom investimento”.

Neste momento, “a nossa maior dificuldade é encontrar pessoas especializadas. Se tivéssemos mais dois médicos veterinários com experiência, ou mais dois ou três enfermeiros veterinários com experiência, nós os contratávamos hoje. A falta de recursos humanos é, de facto, um dos problemas que o hospital pode vir a ter, porque para termos um atendimento rápido, com qualidade e com bons diagnósticos, temos de ter muitos médicos veterinários, bem formados”.

Anexos

Descritores