Governo Regional já apoiou empresas regionais em cerca de 55 milhões euros

“Tudo o que nós podermos fazer para apoiar os nossos empresários, continuaremos a fazer”, defendeu o Vice-presidente do Governo Regional, Pedro Calado. 08-08-2018 Vice-Presidência
Governo Regional já apoiou empresas regionais em cerca de 55 milhões euros

Cerca de 65 empresários madeirenses assinaram e receberam esta tarde, em cerimónia realizada na Fortaleza do Pico, o apoio de 2,3 milhões de euros atribuído pelo Governo Regional, através de fundos comunitários, a projetos para investimento e funcionamento das suas empresas.

Naquela que foi já a 6ª cerimónia realizada em 2018, o Vice-Presidente do Governo Regional, Pedro Calado, lembrou que, no total, os apoios aprovados e concedidos ao abrigo dos sistemas de incentivos têm sido transversais e abrangeram todos os concelhos da Região, num total de 2.140 projetos aprovados e que, entre 2016 e 2018, já significou a distribuição de mais de 55 milhões de euros às empresas da Madeira.

De acordo com o Vice-Presidente, o apoio à iniciativa empresarial tem sido, efetivamente, uma das prioridades estratégicas do Governo, criando medidas de apoio aos empresários, para continuar a incentivar a atividade empresarial, geradora de riqueza, de oportunidades de emprego e desenvolvimento.

Como explicou, esse apoio fez-se através da diminuição da carga fiscal, mas também através de apoios de fundos comunitários, cuja performance regional, de acordo com dados referentes a finais junho de 2018, apresenta-se em linha com a média do Programa Portugal 2020, sendo superior em 4 pontos percentuais no que se refere à taxa de compromisso (a média é de 68% e a taxa regional 72%) e 3 pontos percentuais relativamente à execução (a média é de 26% e a taxa de execução da Região é de 29%), com destaque para o Madeira 14-20, com uma taxa de execução superior em 8 pontos percentuais (34%).

“Continuaremos nesta trajetória. Tudo o que nós podermos fazer para apoiar os nossos empresários, continuaremos a fazer. Porque uma sociedade com níveis de desemprego alto, onde os empresários não têm capacidade de investir e de fazer crescer os seus negócios, é uma sociedade que não funciona”, realçou o governante.