Empresas apoiadas em mais de 58,1 milhões de euros

A diretora regional adjunta de Economia, Patrícia Dantas, disse esta manhã que, nos últimos três anos, o Governo Regional já apoiou as empresas madeirenses e porto-santenses com mais de 58,1 milhões de euros através dos sistemas de incentivos, quer ao funcionamento, quer ao investimento. 08-11-2018 Vice-Presidência
Empresas apoiadas em mais de 58,1 milhões de euros

Patrícia Dantas, que falava na cerimónia de assinatura de um protocolo de colaboração entre o Instituto de Desenvolvimento Empresarial e a GRENKE, referiu que, “até final de setembro deste ano, tínhamos aprovado, ao abrigo dos sistemas de incentivos, através do Instituto de Desenvolvimento Empresarial, um total de 2.647 projetos, que permitiram a criação de 937 novos postos de trabalho”.

Em 2017, e através destes sistemas de incentivos, com fundos do Governo Regional e da União Europeia, acrescentou Patrícia Dantas, “foi pago às empresas madeirenses e porto-santenses um total superior a 26 milhões de euros. No ano anterior, já tinham recebido cerca de 10 milhões de euros”.

Desde o início do ano e até final do mês de setembro, acrescentou a diretora regional adjunta de Economia, “já foram pagos cerca de 24 milhões de euros, fazendo com que, nos últimos três anos, o Governo Regional, também com fundos da União Europeia, já tenha apoiado as empresas com 58,1 milhões de euros”.

Tal como afirmou, “este esforço, a par de outros que o Governo Regional tem desenvolvido, já está a dar frutos, o que é comprovado com os resultados económicos positivos que temos vindo a registar na Região, com crescimento em praticamente todos os setores de atividade económica”.

A par disso, acrescentou, “também a confirmar o clima de confiança e de dinâmica da economia regional, temos vindo a registar, há cerca de três anos consecutivos, um saldo positivo entre a constituição e dissolução de empresas”.

Segundo Patrícia Dantas, “os dados mais recentes, que se reportam ao terceiro trimestre deste ano, mostram que esse saldo se cifrou nas 90 empresas, tendo sido criadas, durante esse período, 222 sociedades e dissolvidas 132. Em 2017, por exemplo, tivemos um ano recorde, com um saldo positivo de 406 novas empresas, que foi o melhor resultado de sempre desde 2008”.

Estes indicadores, conforme referiu, “são também sinais que revelam que a política e a estratégia do Governo Regional estão a dar frutos, e que a Região está no bom caminho, com uma economia cada vez mais forte e pujante. E isso só nos podia deixar satisfeitos. Não só porque as empresas estão a aproveitar os recursos e os apoios que o Governo Regional tem colocado à sua disposição, mas também porque esses investimentos estão a gerar bem-estar social, desde logo com a criação de emprego”.

Para a diretora regional adjunta de Economia, “estes são, quanto a nós, argumentos mais do que suficientes para mantermos o nosso rumo de desenvolvimento e de prosseguirmos a nossa estratégia para fomentar o desenvolvimento socioeconómico, apoiando as empresas e as famílias, gerando riqueza e emprego”.


Anexos

Descritores