Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Governo investe mais de 135 milhões no Funchal em 2021

Vice-presidente visitou as obras de contenção e reabilitação das principais ribeiras do Funchal. 05-12-2020 Vice-Presidência
Governo investe mais de 135 milhões no Funchal em 2021

O Orçamento Regional para 2021 reserva para o Funchal mais de 135 milhões de investimentos. O anúncio foi feito pelo Vice-presidente do Governo Regional, Pedro Calado, à margem da visita às obras de contenção e reabilitação das principais ribeiras do Funchal.

Um investimento, que salientou o governante, não deixa qualquer margem para dúvida sobre a atenção que o Executivo dedica a todos e a cada um dos concelhos, independentemente de qualquer cor partidária e em benefício de todos os munícipes.

O investimento que será concretizado pelo Governo Regional supera, inclusive, a verba reservada pelo próprio orçamento da autarquia para investir na sua cidade e torna bem clara a reposta do Executivo às aspirações e exigências dos cidadãos.

Acompanhado pelo Secretário dos Equipamentos e Infraestruturas, o Vice-presidente visitou o desenvolvimento das obras que estão a ser realizadas nas três principais ribeiras do Funchal – Ribeira de João Gomes, Santa Luzia e São João -, e que representam um investimento superior a 35 milhões de euros.

De acordo com o governante, estas intervenções visaram a regularização e o reperfilamento do leito da ribeira, contribuindo para a consecução dos objetivos de prevenção e gestão de riscos das ribeiras, na medida em que permitem a atenuação da vulnerabilidade de uma área exposta a riscos de cheias e aluviões, reforçando assim a segurança de pessoas e bens.

"A última semana representou uma boa oportunidade para testar a consolidação das obras levadas efetuadas", realçou o vice-presidente, lembrando que "choveu mais do que no 20 de fevereiro e as ribeiras portaram-se muito bem e aguentaram a pressão e a quantidade de material empurrado pela chuva".