Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Exportações do Vinho Madeira estão a crescer de ano para ano

As exportações do Vinho Madeira estão a crescer, de ano para ano. E as perspetivas de um ainda maior aumento são reais, conforme enalteceu Miguel Albuquerque. 29-08-2019 Presidência
Exportações do Vinho Madeira estão a crescer de ano para ano

As exportações do Vinho Madeira estão a crescer, sobretudo para países como os Estados Unidos e o Japão, inclusive, neste último caso, com uma das empresas exportadoras já com sócios japoneses». Quem o afirmou foi Miguel Albuquerque, na abertura, nesta quinta-feira à tarde, da Festa do Vinho Madeira, na placa central.

O presidente do Governo Regional releve que naqueles dois países as exportações do Vinho Madeira estão em alta e em França e na Inglaterra estão igualmente a correr bem.

«Nós temos, neste momento, de continuar a fazer o trabalho que temos feito de promoção do Vinho Madeira. Por exemplo, nos Estados Unidos temos, em Washington, alguns restaurantes com promoção do nosso vinho, a que chamam o Vinho da Independência», explica.

Miguel Albuquerque diz que são «mercados com grande potencial de crescimento, que assentam na qualidade do nosso Vinho Madeira, que é cada vez melhor, e na fidelização dos clientes com mais recursos, pelo que a qualidade é essencial para mantermos o volume de negócios, que anda, neste momento, à volta de 19/20 milhões de euros».

O líder madeirense diz que o Vinho Madeira tem já um peso muito interessante na economia madeirense, com tendência «a aumentar, até porque ainda não é suficientemente conhecido em alguns países, para além de estar ligado à história de vários países, facto que poderemos aproveitar». É o caso, lembrou, dos Estados Unidos, cuja Declaração de Independência foi brindada com Vinho Madeira, mas também na Rússia, onde era favorito dos czares.

«As pessoas à medida que o vão conhecendo vão gostando e comprando. O que conta aqui é a qualidade e o preço, não a quantidade. É nisso que estamos a apostar», concluiu.


Anexos

Descritores