Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Governo cria plano de monitorização do lixo-marinho costeiro

Secretaria Regional do Ambiente, Recursos Naturais e Alterações Climáticas reforça Estratégia MaRAM com aposta na intervenção rápida em eventos de poluição. 07-12-2019 Ambiente, Recursos Naturais e Alterações Climáticas
Governo cria plano de monitorização do lixo-marinho costeiro Já no próximo ano a Secretaria Regional do Ambiente, Recursos Naturais e Alterações Climáticas irá reforçar a aposta na Estratégia MaRAM, que tem como principal missão o combate à poluição de águas costeiras na Madeira.
Apesar da qualidade comprovada das águas balneares, o objetivo passa por desenvolver novos métodos e programas de limpeza das áreas costeiras e balneares e que irá obrigar a um reforço de meios para a monitorização da qualidade das águas. A pronta intervenção na eventualidade da deteção de eventos de poluição será outra vertente que a secretaria regional quer ver desenvolvida.
No âmbito desta estratégia, o Governo Regional pretende dar início a um Plano Regional de Monitorização do Lixo-Marinho Costeiro, que incluirá todas as ilhas do Arquipélago (Madeira, Porto Santo, Desertas e Selvagens) e que permitirá, a breve trecho, aumentar o conhecimento sobre as especificidades regionais que possam contribuir para esta problemática, permitindo igualmente perceber que parte do lixo-marinho chega à Região vindo de outras partes do globo.
Segundo recordou a secretaria Regional do Ambiente, Recursos Naturais e Alterações Climáticas, Susana Prada, “a estratégia MaRAM teve como objetivo a melhoria das águas balneares da Região. Em 2015 existiam apenas 24 águas balneares de excelente qualidade, hoje são 40!”, disse a governante sublinhando ainda que o número de Bandeiras Verdes passou de 11 para 23. “Queremos nesta legislatura dar continuidade a este processo que a todos orgulha, aumentando a excelência das nossas águas”, concluiu.
Os resultados obtidos através deste plano serão determinantes para delinear metas e novos comportamentos para uma sociedade mais ecológica, assente em princípios de economia circular, de consumo mais regrado e de acordo com os limites da sustentabilidade ambiental, económica e social.
A ideia é marcar agenda e compromisso no assumir de responsabilidades no contexto do MaRAM já para a próxima época balnear.
Recorde-se que a Estratégia MaRam, aprovada através de Resolução do Governo em 2015, passa por constituir um instrumento integrado de controlo e mitigação da poluição das águas costeiras e assenta em duas vertentes: sensibilização e educação ambiental e identificação dos focos de poluição.


Anexos

Descritores