Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Secretário da Economia foca cinco temas na abertura do II seminário ‘SMART-ECO’

II seminário transacional ‘SMART-ECO’ 28-06-2021 Economia
Secretário da Economia foca cinco temas na abertura do II seminário ‘SMART-ECO’

Realiza-se esta segunda-feira, em plataforma online, o II seminário transacional ‘SMART-ECO’. O secretário regional da Economia é anfitrião do evento subordinado ao tema “Transformação digital na Madeira, uma oportunidade transversal para a sociedade, as empresas e a Administração Pública”.

 

Tratando-se de um projeto de cooperação entre Madeira-Açores-Canárias, e tendo presente o tema transformação digital, o governante vai destacar, na sua intervenção, cinco tópicos-chave: a importância da cooperação; a aprendizagem conjunta e troca de experiências; a transformação/transição digital; o conjunto de oportunidades para a competitividade das empresas e diagnóstico e a estratégia para uma economia digital.

 

Rui Barreto sublinha que o Governo Regional quer aproveitar a pandemia para acelerar a estratégia da região na transformação para uma economia digital, alavancado pelo Plano de Recuperação e Resiliência e pelos fundos estruturais do novo quadro comunitário de apoio 2021-2027.

 

“Esta crise tem sido um catalisador da mudança e está a acelerar a transformação digital. As empresas e os trabalhadores tiveram de se adaptar à nova realidade e às novas formas de trabalho”, salienta, lembrado que “a mudança de paradigma constitui também uma oportunidade para repensarmos modelo de desenvolvimento económico e acelerarmos processos adiados no tempo, sobretudo em áreas relacionadas com a ciência e tecnologia e na digitalização da economia”.

 

“Devemos criar condições para que novas atividades afirmem os seus modelos de negócio em torno de oportunidades económicas, adequadas à nova era digital. É muito importante que os projetos empresariais sejam orientados para o investimento em inovação, investigação, criatividade, internacionalização e formação de competências”, refere.

 

O projeto SMART-ECO assenta na criação de uma plataforma de cidades inteligentes para a melhoria da competitividade digital de empresas, microempresas, trabalhadores independentes e empresários. Esta transformação digital da economia local resultará numa maior capacidade de crescimento das empresas nos mercados regionais, nacionais e internacionais e contribuirá para a diversificação económica do Espaço MAC. O projeto está estruturado em torno de três blocos de trabalho: criação de um quadro de colaboração para a geração de um ecossistema digital local; inovação tecnológica no tecido produtivo local ("digital adopters") e romoção dos "nativos digitais" e das novas empresas.

 

Os territórios que fazem parte do projeto SMART-ECO são: Ilhas Canárias, especificamente os municípios de Adeje, Candelária e Santa Cruz de Tenerife e San Bartolomé de Tirajana; Madeira; Açores, especificamente a Ilha Terceira e a Ilha do Pico; Cabo Verde, especificamente o município da Praia; Senegal, especificamente Dakar; e Mauritânia, especificamente o município de Nouakchott.Os beneficiários do FEDER são os mesmos beneficiários do projeto - Madeira-Açores-Canárias - sendo que, na Região Autónoma da Madeira, a gestão do projeto está a cargo do Instituto de Desenvolvimento Empresarial da Madeira, tutelado pela secretaria regional da Economia, e da ACIF - Associação Comercial e Industrial do Funchal.

 

A tarefa dos beneficiários do FEDER passa pela implementação das diferentes ações no seu território e por levar a cabo as ações de comunicação e coordenação do projeto, em conformidade com o Acordo de Cooperação Transnacional. Ao mesmo tempo, devem coordenar e financiar as ações levadas a cabo nos países terceiros.

 

De referir que, o SMART-ECO insere-se no Programa de Cooperação INTERREG V-A Espanha-Portugal MAC (Madeira-Açores-Canárias) 2014-2020,  lançado pela Comissão Europeia em 2015, com um orçamento de 130 milhões de euros - 85% financiado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional-ERDF.

 


Anexos

Descritores