Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

A 30 metros de profundidade

O secretário regional de Mar e Pescas releva a importância do submarino "Tridente" na fiscalização da 3.ª maior Zona Económica Exclusiva da Europa (ZEE) 13-12-2019 Mar e Pescas
A 30 metros de profundidade

O secretário regional de Mar e Pescas, Teófilo Cunha, foi uma das individualidades convidadas pelo Comando Operacional da Madeira (COM), estrutura chefiada pelo contra-almirante João Dores Aresta, e pelo Comando da Zona Marítima da Madeira (ZMM), liderado pelo capitão-de-mar-e-guerra, Luís Guerreiro Cardoso, para visitar, navegar e conhecer o submarino da Marinha de Guerra Portuguesa, da classe Tridente, N.R.P. Tridente, durante a passagem pelo Funchal.

Foi “uma estreia absoluta” para o governante com a pasta do Mar e Pescas. O baptismo de submersão permitiu conhecer e compreender a “importante missão” do moderno submarino, a sua importância na missão de defesa e proteção das nossas águas marítimas, cuja extensão é a terceira maior da União Europeia e a 11.ª em todo o mundo.

A visita durou cerca de duas horas. Durante esse tempo, os convidados experimentaram a sensação de imergir até aos 30 metros de profundidade, por um período de 10 minutos, e ficaram a conhecer o funcionamento dos equipamentos.

A classe Tridente é uma produção dos estaleiros alemães. A particularidade destes meios, levou à adopção de soluções avançadas, fazendo com que os submarinos da classe Tridente já tenham sido apelidados de “submarinos fantasmas”, pela dificuldade na sua deteção.

 

 

 


Anexos

Descritores