Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

AGIR+Agricultura realiza mais oito cursos em empreendedorismo agrícola

Programa ‘AGIR+Agricultura’ pretende estimular mentalidades, promovendo um novo espírito de iniciativa e dinamismo que facilite a expansão de horizontes, em particular de potenciais agentes do sector primário 05-04-2021 Agricultura e Desenvolvimento Rural
AGIR+Agricultura realiza mais oito cursos em empreendedorismo agrícola

Já são conhecidas as próximas oito datas dos cursos de formação em empreendedorismo agrícola que a Secretaria Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural, em parceria com a Escola Agrícola da Madeira, Instituto de Emprego da Madeira e da Startup Madeira, está promover com o intuito de incentivar cidadãos em situação de desemprego a validar ideias e a concretizar projetos no sector primário, através de um programa designado ‘AGIR+Agricultura’.

A primeira formação terá lugar já entre os dias 20 e 23 de abril, na Ribeira Brava, seguindo-se nova ação entre 4 e 7 de maio, no Porto Santo. Ainda no m~es de maio serão realizadas mais duas formações, na Calheta (de 11 a 14) e Funchal (de 25 a 28).

Já no mês de junho, decorrerão mais dois cursos, em Santa Cruz (de 7 a 11) e Santana (de 15 a 18), fechando o ciclo com mais dois eventos, um a realizar no mês de Outubro, em Machico, de 26 a 29, e outro no mês seguinte, no Porto Moniz, de 2 a 5 de novembro.

“O programa de formação e de incentivo ao empreendedorismo agrícola surgiu para estimular, consciencializar e oferecer informação sobre as oportunidades de investimentos no sector da agricultura na Região”, explica António Trindade, diretor da Escola Agrícola da Madeira, um dos principais impulsionadores do projeto, revelando que o curso de tem uma componente essencialmente prática permite aos participantes conhecerem a transversalidade do sector agrícola, designadamente a diversidade de opções de produção, o apoio técnico, as estruturas de apoio do Governo Regional e os instrumentos financeiros para o desenvolvimento da agricultura”. 

Até agora, e tendo sido realizados 5 cursos, nos Concelhos do Funchal, Câmara de Lobos, Ponta do Sol e São Vicente, António Trindade diz que “o balanço da iniciativa é bastante positivo, que se tem repercutido no elevado número de inscritos, no empenho de todos os formadores em dar a conhecer, não só informação técnica, mas, também, em mostrar, no terreno, explorações e empresas que são negócios modelo na nossa agricultura”. 

“Os cerca de 120 formandos, que até agora frequentaram o programa de formação, evidenciam uma nova consciência agrícola na região, e de como este setor pode ser, ainda mais estratégico, atendendo à atual conjuntura, em que é determinante a criação de emprego, a reconversão de competências, a diversificação da economia e o reforço do paradigma da sustentabilidade no sector. Sentimos que este contexto de pandemia serviu para sedimentar ideias de negócios e que, sobretudo para aqueles que procuram emprego e que olham a agricultura como uma janela de oportunidades”, conta o responsável máximo da Escola Agrícola da Madeira.    

Como é referido inicialmente, este programa de formação resulta de uma feliz parceria entre a Escola Agrícola, o Instituto de Emprego e a Startup Madeira, “num trabalho em rede, que junta o conhecimento técnico agrícola, uma escolha criteriosa de inscritos nos serviços de emprego e a vasta experiência da Startup Madeira no apoio à germinação de negócios , fazendo com que aqueles que frequentam esta formação conheçam os serviços e os apoios diversificados para o empreenderíamos agrícola, em particular, e o empreendedorismo, em geral”.  “Mas este programa de estímulo não termina na formação, aqueles que demonstrem interesse em prosseguir o seu percurso nesta área têm a possibilidade de aderir à Unidade de Aceleração de Negócios Agrícolas (UANA), que é um serviço vocacionado para o Empreendedorismo Agrícola, sediado na Escola Agrícola da Madeira, em São Vicente, com enfoque particular nos jovens e potenciais agricultores e na capacitação de empresários agrícolas. O objetivo é o de promover a articulação entre entidades, técnicos e as ferramentas de apoio, com o objetivo de incitar novos projetos agrícolas e de promover formação específica que auxilie o desenvolvimento do negócio no sector primário”, revelou António Trindade, acrescentando que “desde a sua criação, a UANA, tem já 50 aderentes que têm ao seu dispor apoio personalizado ao nível da formação, estruturas físicas e uma equipa multidisciplinar e habilitada para ajudar a desenvolver as suas ideias e os seus negócios. 

A finalizar, registe-se que as inscrições para as oito ações propostas podem ser feitas na página da Escola Agrícola da Madeira em https://escolaagricola.madeira.gov.pt/, por telefone 291 145 455 ou por e-mail escolaagricola@madeira.gov.pt. A formação é gratuita, embora a inscrição seja obrigatória, uma vez que cada ação não deverá exceder os 25 participantes, e terá como destinatários preferenciais desempregados inscritos nos serviços de emprego.

Os cursos têm uma carga horária de 26 horas, aulas teóricas e práticas e visitas a explorações do ramo agrícola.


Anexos

Descritores