Este sítio utiliza cookies para facilitar a navegação e obter estatísticas de utilização. Poderá consultar a nossa Política de Privacidade aqui.
Pesquisar

Renovação da Estação Zootécnica permitirá melhor investigação e maior atratividade turística

Miguel Albuquerque diz que a requalificação da Estação Zootécnica da Madeira – Dr. Carlos Dória, é um grande e bom investimento para a Região. O presidente do Governo Regional visitou hoje as obras de beneficiação daquela infraestrutura e, no final, sublinhou as suas vantagens na área da investigação e da educação e ainda relevou a sua atratividade turística. 30-06-2022 Presidência
Renovação da Estação Zootécnica permitirá melhor investigação e maior atratividade turística

O líder madeirense disse que todo o investimento foi projetado de modo a tornar aquela Estação Zootécnica atrativa para o Turismo e para a Educação. E ainda de modo a permitir ali concentrar «a investigação científica na área da Zoologia, que é necessária e fundamental para o desenvolvimento da agropecuária na Madeira».

O governante considerou ainda fundamental este investimento para melhorar a atratividade do concelho do Porto Moniz.

«Esta estação foi edificada nos anos 50 e foi agora totalmente requalificada. É um espaço muito bonito, muito agradável e é altamente pedagógico, tendo todas as condições para virem cá as escolas», sublinhou, em declarações à Comunicação Social presente.

A Estação Zootécnica da Madeira – Dr. Carlos Dória foi totalmente requalificada. A empreitada incluiu renovação dos exteriores e dos edifícios, que vem dar um novo dinamismo ao sector pecuário na Região.

A obra, agora concluída, sob iniciativa da Secretaria Regional da Agricultura e Desenvolvimento Rural, contemplou vários investimentos, como a limpeza de matos e controlo de vegetação espontânea nos terrenos da Estação, onde foram plantadas 5000 plantas indígenas: 2000 Faias das ilhas, 1000 Loureiros e 2000 – Folhados.

O investimento inclui ainda a instalação de vedação em rede ovelheira, numa extensão de 3683 metros, com a colocação de 8 portões, bem como o melhoramento e instalação de pastagens bio diversas em 19 hectares.

O projeto englobou igualmente a instalação de apiários, incluindo colmeias e suporte. Procedeu-se ainda à beneficiação de sala de apoio à apicultura e adquiriram equipamentos para apicultor.

Destaque-se ainda o investimento em estruturas funcionais diretamente relacionadas com a instauração de um sistema agroflorestal: aquisição de bebedouros de pasto para bovinos e criação de abrigo para animais em pasto, de abrigo principal, de abrigo para animais de pequeno porte, de fossa séptica para chorume, de cais de carga e nitreira, de estação de compostagem e de um armazém para máquinas e equipamentos;

Melhorou-se também a unidade de apoio aos trabalhadores e renovou-se a rede de combate a incêndios e rega de pasto.

A obra contemplou igualmente a beneficiação de rede viária numa extensão de 2.331 metros, a construção de rede viária (acesso principal com a colocação de um portão - 860m, caminho florestal - 753m, acesso à estação de compostagem - 200m) e a compra de máquinas e equipamentos.

Há a contabilizar igualmente a recuperação total dos três prédios que compõem a estação.

O objetivo foi criar ali um núcleo educacional. Que permitisse a realização de formações, a par de um espaço museológico ligado à atividade pecuária e à história da Estação


Anexos

Descritores