Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Albuquerque garanta que apoios à indústria são para continuar

Miguel Albuquerque garante a continuidade dos apoios à indústria, também do ramo automóvel. Declarações feitas durante a visita, hoje, de manhã, à empresa “OK Motor Sport”. 18-11-2021 Presidência
Albuquerque garanta que apoios à indústria são para continuar

O presidente do Governo Regional deixou hoje claro que a Madeira vai continuar a apoiar a sua indústria, sublinhando que o erro da Europa foi deslocalizar as suas indústrias para fora do seu território.

Miguel Albuquerque, que hoje visitou as instalações da empresa “Ok Motor Sport”, no Caniço, no ramo das reparações automóveis, defendeu que «nenhuma região, nenhum país deve abandonar a indústria.»

Neste sentido, garante que, na Região, irá continuar a aposta na Indústria, bem como o apoio às empresas industriais, entre elas as do ramo automóvel.

O governante sublinha que a indústria mudou muito, com preocupações que não tinha no passado, até devido à certificação e desenvolvimento das atividades industriais.

«Como podem ver, ao entrar nesta oficina, ela está completamente limpa, certificada, tem profissionais habilitados e com formação profissional. É muito importante continuar a dar essa formação técnica», enalteceu.

Miguel Albuquerque diz que vai, junto com o secretário da Economia, na sua ronda pelas empresas, lembrando que a que visitou hoje tem cinco anos. «Já tem 17 profissionais. E vai ter mais, uma vez que vai agora abrir uma filial de rent-a-car», sublinhou.

O líder madeirense lembrou ainda os constrangimentos que a indústria automóvel atravessa, porque «com o reajustamento dos stocks há mais procura do que oferta, sobretudo quanto aos componentes automóveis, designadamente os chips».

O presidente do Governo Regional lembrou ainda que novos desafios se colocam às empresas do ramo automóvel, desde logo a complexidade cada vez maior, do ponto de vista técnico, das empresas, o que obriga à formação contínua dos profissionais.

Depois, há a necessidade de as mesmas se prepararem convenientemente para a transição para o veículo elétrico.

«Estou a ouvir os industriais deste ramo, porque a escola Francisco Fernandes está a dar formação nesta área e tem de se apostar forte na formação ao nível dos veículos elétricos», disse ainda, a concluir.