Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Porto Santo vive surto extraordinário de desenvolvimento

O presidente do Governo Regional recordou o que era o Porto Santo antes da Autonomia. E pediu aos porto-santenses que se lembrem desses tempos e que vejam o que é a ilha hoje em dia. 28-06-2019 Presidência
Porto Santo vive surto extraordinário de desenvolvimento

Miguel Albuquerque pediu hoje, aos porto-santenses, para se recordarem do que era o Porto Santo antes da Autonomia, «um Porto Santo atrasado, pobre, estratificado, sem desenvolvimento, com a população a viver rodeada de pobreza».

Falando na cerimónia de inauguração das novas instalações do “Pingo Doce” naquela ilha, o governante sublinhou que desde a Autonomia, a Madeira e o Porto Santo estão «num surto extraordinário de progresso, também nesta Ilha». «E é bom pensarmos de onde partimos e onde e como estamos, porque um povo que não consegue compreender o seu passado não consegue compreender presente e muito menos vai ganhar o seu futuro», acrescentou.

«O Porto Santo foi, de facto, uma terra que durante muitos anos, gerações e gerações, sofreu, a sua população, na pele, as agruras de uma sociedade pouco desenvolvida. Era um Porto Santo esquecido, abandonado, onde as populações eram analfabetas, porque não havia escola onde pudessem ser ensinadas, ou onde morriam por não haver hospitais nem centros de saúde e onde as pessoas trabalham de sol a sol, numa economia de subsistência», recordou.

Em contraponto, hoje, «temos uma sociedade do progresso, aberta, onde as novas gerações têm, de facto, um nível de vida muito bom, que os seus antecessores jamais poderiam sonhar».

Neste sentido, Miguel Albuquerque garantiu que os porto-santenses podem contar com o seu Governo, para cumprir com aquilo que foi prometido, que é um programa de desenvolvimento e progresso desta terra.