Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Professores e escolas extraordinários garantem Educação de excelência

Miguel Albuquerque diz que as escolas e as professoras e professores extraordinários que a Madeira tem fazem com que tenhamos, na Região, uma Educação de excelência. 29-05-2019 Presidência
Professores e escolas extraordinários garantem Educação de excelência

Miguel Albuquerque destacou hoje a sorte que os jovens têm de beneficiarem de escolas extraordinárias, com professoras e professores extraordinário, que garantem uma Educação de excelência na Região.

O presidente do Governo Regional falava, nesta quarta-feira à tarde, durante a entrega de prémios, na Quinta Vigia, a vários dos alunos participantes no suplemento “Ponto e Vírgula”, uma parceria entre a Secretaria Regional da Educação, o Diário de Notícias da Madeira e o “La Vie”.

Na oportunidade, Miguel Albuquerque congratulou-se pelo sucesso da iniciativa, que «começou em 2015 e que no fundo corresponde àquilo que nós pretendemos: fazer uma amostragem da evolução da nossa Educação».           

 

«Não podemos escamotear aquela que é uma realidade hoje na Madeira, que é a circunstância destas novas gerações terem beneficiado de um ciclo extraordinário de progresso e avanço social», frisou.

O governante destacou ainda que as escolas, hoje em dia, «são espaços que extravasam a chamada Educação formal e estão vocacionadas para o século XXI, para interagir com a sociedade onde estão inseridas». E, acrescentou, «facultam aos nossos jovens a possibilidade de exercerem as suas capacidades criativas, nas suas diversas modalidades».

Miguel Albuquerque deu ainda parabéns ao La Vie e ao DN, pela parceria com a Secretaria da Educação, sublinhando que era exemplo a seguir, na apresentação de conjunto de trabalhos talentosos.

E, a concluir, disse que o seu Governo Regional está disponível para retomar este projeto para o próximo ano. «Evidentemente que isso dependerá da vontade do povo, mas nós acreditamos na inteligência e na capacidade de escrutínio do nosso povo. Portanto, é quase certo que vamos continuar com esta parceria», concluiu.