Este sítio utiliza cookies para facilitar a navegação e obter estatísticas de utilização. Poderá consultar a nossa Política de Privacidade aqui.
Pesquisar

Aumento das áreas marinhas protegidas, revela compromisso com o Mar

Secretário Regional esteve no Seminário Mariscos da Macaronésia, destacando o contributo da ciência na gestão equilibrada dos recursos marinhos. 25-10-2022 Mar e Pescas
Aumento das áreas marinhas protegidas, revela compromisso com o Mar

O secretário regional do Mar e Pescas, Teófilo Cunha, destacou o empenho e compromisso do Governo Regional com a preservação dos oceanos, lembrando o aumento da área marinha protegida e do investimento e promoção de recifes artificiais.

 

“Os recifes artificiais, por exemplo, têm funcionado como verdadeiras incubadoras das espécies que habitam nos nossos mares”, disse Teófilo Cunha durante a abertura do Seminário Mariscos da Macaronésia, que decorreu no Porto Santo.

 

O encontro, organizado pela Secretaria Regional do Mar e Pescas, através da Direção Regional do Mar, marcou o encerramento do Projeto Mariscomac, que foi responsável por identificar o potencial de comercialização sustentável da gamba da Madeira.

 

“Todas as decisões políticas devem estar assentes no conhecimento científico, e este projeto é um bom exemplo desta cooperação”, considerou o secretário regional, notando que o mar “é um pilar fundamental” para a “saúde” do planeta. “Sem um mar saudável, não temos uma terra saudável”, prosseguiu, ressalvando: “Esta defesa dos oceanos não significa decisões extremadas, porque é possível contabilizar de uma forma sustentável as atividades que já existem no mar, com a sua proteção”.

 

O Mariscomac é um projeto liderado pela Direção Regional do Mar que reúne especialistas da Madeira, de Canárias e de Cabo Verde. Na Região, a Câmara Municipal do Funchal, através da Estação de Biologia Marinha, é o principal parceiro do projeto, e em Canárias o contributo acontece através de investigadores da Universidade de Las Palmas de Gran Canária. E a presença de Cabo Verde, por via do Instituto de Nacional de Desenvolvimento das Pescas, Universidade de Cabo Verde, da Escola de Hotelaria e Turismo de Cabo Verde e do Instituto de Apoio Promoção Empresarial. O custo total do projeto Mariscomac ascende aos 465,6 mil euros, comparticipado a 85% pelo FEDER no âmbito do Programa de cooperação territorial MAC (2014-2020).

 

“É o único projeto, em termos de Interreg, em que a Madeira surge como coordenador”, enquadrou a diretora regional do Mar, Mafalda Freitas, durante a abertura do seminário, explicando que o Mariscomac teve por objetivo identificar o potencial comercial dos mariscos dos mares madeirenses, permitindo avançar com medidas de gestão sustentável desses recursos. “Não só traçou medidas para recursos já identificados como a lapa ou o caramujo, como permitiu identificar novas potencialidades, como a gamba.”

 

Durante o seminário, foi apresentado o livro ‘Porto Santo Debaixo de Água’, um trabalho coordenado por Mafalda Freitas, Filipe Henriques e Nuno Vasco Rodrigues. “É uma edição bilingue, que pretende divulgar a diversidade marinha do Porto Santo, servindo como um roteiro para o mergulho e para as atividades marítimo-turísticas”, resumiu a diretora regional.

 


Anexos

Descritores