Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Plano e Orçamento 2020: Aquacultura como vértice do desenvolvimento da economia azul

Rede de Escolas Azuis para promover a literacia do mar junto dos mais jovens. Captura de camarão da Madeira com potencial 22-01-2020 Mar e Pescas
Plano e Orçamento 2020: Aquacultura como vértice do desenvolvimento da economia azul

O Governo Regional está em condições de poder licenciar a captura de camarão da Madeira. A novidade foi avançada pelo secretário regional de Mar e Pescas, Teófilo Cunha, durante a discussão do Plano e Orçamento para 2020, na Assembleia Legislativa da Madeira.

O estudo científico realizado pela Direcção de Serviços de Investigação das Pescas e que fundamenta a decisão governamental, indica ainda que o stock existente oscila entre as 10 a 15 toneladas de camarão. Trata-se de um produto gourmet, de qualidade superior e valor comercial elevado.

Com um Orçamento total de 13 milhões de euros, dos quais 7,7 milhões de euros estão reservados a investimentos, Teófilo Cunha deixa claro que o Governo Regional assume a aquacultura como um dos vértices do crescimento da economia azul, utilizando como fundamento as decisões do Fundo para a Agricultura e Alimentação das Nações Unidas, as orientações da União Europeia e as recomendações da comunidade científica mundial, que apontam a aquacultura como “a forma mais sustentável de garantir às populações mundiais o acesso ao consumo de peixe”.

A política do Executivo para a área do Mar passa também pela criação da Rede de Escolas Azuis da Madeira, um projecto para ser desenvolvido em parceria com a secretaria regional de Educação, Ciência e Tecnologia com o propósito de promover a literacia e o conhecimento do mar junto das camadas jovens da população.

No âmbito das pescas, a renovação da frota do peixe-espada é prioridade para ser concertada entre o Governo da República e as entidades de Bruxelas. A nova Lota do Funchal, um investimento na ordem dos 5,5 milhões de euros, é para entrar em funcionamento no próximo Verão. A Unidade Externa de Gelo do Caniçal, no valor de 1,5 milhões de euros, é para concretizar em 2020.

“Este Orçamento segue as orientações-base, é um documento orientador, que tem por objectivo reforçar e consolidar a dinâmica económica que tem permitido o desenvolvimento da Região”, referiu Teófilo Cunha.

 

 

 


Anexos

Descritores