Este sítio utiliza cookies para facilitar a navegação e obter estatísticas de utilização. Poderá consultar a nossa Política de Privacidade aqui.
Pesquisar

Governo Regional investiu mais de 10 Milhões em Cuidados Continuados Integrados no ano de 2022

A REDE, cuja Coordenação Estratégica e Técnica é assegurada pela DRPPIL tem se mostrado como uma medida eficaz à pressão exercida pelos internamentos hospitalares de pessoas em situação de alta clínica, respondendo igualmente a situações de índole social que não têm outra alternativa de resposta. 13-01-2023 Saúde e Proteção Civil
Governo Regional investiu mais de 10 Milhões em Cuidados Continuados Integrados no ano de 2022

Em 2022, o Governo Regional investiu 10 708 755,80 € em Cuidados Continuados Integrados. Este investimento representa um incremento de 59% quando comparado ao investimento realizado no biénio de 2019 e 2021 (18 008 390,00 €). O aumento deste apoio registado em 2022, decorre da contratualização de mais 17 novos lugares de REDE na tipologia de Longa Duração e Manutenção e da renovação de 211 lugares, previamente criados, também estes na tipologia de internamento de Longa Duração e Manutenção.  Com o investimento em 2022, foi possível atingir um total de 399 camas de Longa Duração e Manutenção, o que, cumulativamente, representa, um investimento público, entre 2019 e 2022, no valor total de 28 717 145,80 €.

 

Por outro lado, o incremento em 2022 resulta também do efeito do aumento extraordinário dos preços aplicáveis às unidades de longa duração e manutenção (ULDM) na ordem dos 3,75%, que foi determinado pelo Governo Regional, para vigorar desde 1 de janeiro de 2022, com vista a assegurar a sustentabilidade das unidades e a prestação de cuidados de qualidade ao utente.

“A verticalidade dos números é real. A REDE tem um valor estratégico inquestionável e tem progredido na implementação de um conjunto de respostas que integram cuidados de saúde e de apoio social, os quais contribuem para promover a autonomia, minorar a dependência e readaptar a funcionalidade das pessoas que requerem cuidados de saúde especializados em continuidade”, disse Ana Clara Silva, diretora regional da Direção Regional para as Políticas Públicas Integradas e Longevidade (DRPPIL).

A REDE, cuja Coordenação Estratégica e Técnica é assegurada pela DRPPIL tem se mostrado como uma medida eficaz à pressão exercida pelos internamentos hospitalares de pessoas em situação de alta clínica, respondendo igualmente a situações de índole social que não têm outra alternativa de resposta.

 

Desde 1 de agosto de 2019, até à presente data, já foram realizados 651 internamentos em unidades de internamento de Longa Duração e Manutenção da REDE e admitidos 646 utentes. O perfil sociodemográfico indica que a idade média dos utentes é de 79,7 anos e a maioria são mulheres (67,6%). Os idosos com mais de 80 anos representam (61,8%). Outro dado importante revela que cerca de 7% destes utentes apresenta idade inferior a 60 anos e 2,6%, destes, tiveram alta das unidades.