Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Convento de Santa Clara tem papel fundamental na História da Região

Miguel Albuquerque disse hoje que a obra de recuperação do Convento de Santa Clara, em curso., é fundamental em termos patrimoniais, mas também em termos da própria história da Região. 07-04-2021 Presidência
Convento de Santa Clara tem papel fundamental na História da Região

O presidente do Governo Regional visitou, nesta manhã de quarta-feira, o Convento de Santa Clara, cuja estrutura e património estão a ser reabilitados, aproveitando para sublinhar tratar-se de «um dos principais monumentos nacionais». «A obra de requalificação que estamos aqui a concretizar era esperada há mais de 70 anos», recordou.

O governante lembra que a empreitada corresponde a um investimento muito elevado: «São cerca de dois milhões de euros para a recuperação estrutural do Convento, de partes do Convento que estavam fechadas, como as capelas, bem como ainda do seu espólio, que é riquíssimo».

Sublinhando que todo o investimento deve estar concluído no próximo ano, Miguel Albuquerque disse ser aquela «uma obra muito importante, do ponto de vista da salvaguarda do património nacional, de um monumento que está ligado à própria história da Região Autónoma da Madeira e do País».

Aliás, a recuperação e conservação do património são «um bom ativo para a Educação e para a cultura de um povo, que é algo em que é fundamental continuarmos a apostar». «Quem não conseguir perceber que as sociedades desenvolvidas de hoje são as que apostam na Educação, na Ciência e na Cultura não percebe nada do mundo em que se vive», acrescentou.

«É uma aposta para a nossa população e uma dádiva que temos de passar às próximas gerações», clarificou.

Para além desta vertente de recuperação patrimonial, Miguel Albuquerque enfatizou o papel do Convento de Santa Clara na história da Região e da Igreja madeirense, sublinhando que o mesmo «está ligado àquilo que somos como povo».

Finalmente, assumiu que a recuperação do nosso património «é, igualmente, uma oportunidade para melhorarmos a nossa oferta turística, do Turismo Cultural».


Anexos

Descritores