Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Madeira interessada nos corredores turísticos

O secretário regional de Turismo e Cultura considera que, em matéria da criação de corredores turísticos, é de todo o interesse para a Região Autónoma da Madeira que sejam aproveitadas as oportunidades que tragam maior fluxo de turistas. 25-05-2020 Turismo e Cultura
Madeira interessada nos corredores turísticos

Eduardo Jesus refere que a Comissão Europeia começou por definir a possibilidade do estabelecimento de corredores turísticos e que, “prontamente manifestamos a disponibilidade da Região para entrar nesse processo, atendendo a que existem vários países europeus com caraterísticas no controlo à epidemia, que nos dão garantias que esse corredor seja estabelecido”. Por isso mesmo, acentuou que “estamos prontos para o fazer” e que, disso mesmo, “já manifestamos ao Governo da República”.

O governante complementa que há entendimento de que aquilo que a Comissão Europeia chama de ‘travel bubble’ constituem “exatamente mecanismos facilitadores dessas mesmas possibilidades”.

No caso particular do Reino Unido, que é, a par da Alemanha, um dos dois maiores mercados emissores de turistas para a Madeira, “temos todo o interesse em que se criem essas possibilidades, salvaguardando que as pessoas viajam em boas condições de saúde e que vão encontrar aqui um destino que tem implementado um conjunto de medidas que vêm garantir essa segurança, consolidando esta estratégia que a Madeira tem vindo a desenvolver, numa primeira fase, como a primeira região do país a definir um Manual de Boas Práticas para o setor. E que, num segundo momento, optou por uma certificação internacional, recorrendo a uma multinacional, credenciada para o efeito, para posicionar também o destino como certificado em termos de segurança sanitária”.

Além disso, Eduardo Jesus entende que a decisão de ser oferecida a possibilidade de todos os passageiros que aterrem na Madeira serem testados, e, dessa forma, aferirem o seu estado de saúde, e confirmarem que encontram um território onde todos os que entraram, foram testados, além de se depararem com uma população que não está infetada, “traz, naturalmente, uma confiança extraordinária que entendemos ser muitíssimo útil neste processo da afirmação da segurança que se impõe a todo o setor do turismo”.  


Anexos

Descritores