Este sítio utiliza cookies para facilitar a navegação e obter estatísticas de utilização. Poderá consultar a nossa Política de Privacidade aqui.
Pesquisar

«Casas do Povo são cada vez mais importantes no complemento da ação do poder local e do Governo» 

Miguel Albuquerque esteve terça-feira na tomada de posse dos órgãos sociais da Casa do Povo de São Gonçalo. Na ocasião, agradeceu o trabalho extraordinário das Casas do Povo no apoio à população mais vulnerável durante a pandemia  03-08-2022 Presidência
«Casas do Povo são cada vez mais importantes no complemento da ação do poder local e do Governo» 

O Presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, enalteceu e agradeceu ontem, terça-feira, por ocasião da cerimónia de tomada de posse dos órgãos sociais da Casa do Povo de São Gonçalo, Funchal, o trabalho extraordinário realizado por aquela Casa do Povo – e há imagem de tantas outras, um pouco por toda a Região –, durante a pandemia, no apoio às populações, em particular às famílias em situação de maior vulnerabilidade. 

Para o Chefe de Governo a ação em geral das Casas do Povo e, de modo particular a desenvolvida no contexto pandémico veio demonstrar o erro propalado por algum tempo de que estas estavam em vias de extinção. 

«Provámos que as Casas do Povo são cada vez mais importantes, como organismos de complemento da ação dos órgãos de poder local e do governo», disse Miguel Albuquerque. 

«E eu quero, mais uma vez, em nome do Governo, agradecer a todos vós esse trabalho fantástico que fizeram ao serviço dos outros, sobretudo daqueles que mais precisam», continuou. 

O líder do Executivo teve oportunidade de auscultar as propostas que constam do programa da direção liderada por Marco Sousa, entre elas a de criação e disponibilização de um conjunto de serviços à população da freguesia. 

O Presidente do Governo salientou que toda a descentralização representa ganhos para a população, manifestando-se, assim aberto à proposta, incitando a direção da casa do povo a definir prosseguir o trabalho necessário ao aprofundamento da proposta, desde logo a uma análise conjunta com a Loja do Cidadão em torno do custo-benefício.  

«Seria muito importante nós termos também aqui, nesta Casa do Povo, um organismo descentralizado na prestação de serviços à população», concluiu Miguel Albuquerque. 

A Casa do Povo de São Gonçalo foi constituída em 2018, correspondendo a uma das mais recentes da Região Autónoma da Madeira, sendo que a sua missão – desenvolvimento e bem-estar da comunidade onde se insere – tem dado frutos, não obstante a sua atividade recente. 

Recordar que a par do seu plano de atividades, a Casa do Povo foi entidade parceira dos programas FAROL – Fundo de Apoio Regional às Organizações Locais e FEAS – Fundo de Emergência para Apoio Social no ano de 2021, apoiando, no âmbito do último, e em contexto de pandemia, mais de 300 agregados e quase 700 cidadãos daquela freguesia. 

Teve, igualmente, um papel fulcral no esforço encetado, no sentido da reabertura do balcão dos CTT na freguesia de São Gonçalo, em 2019, cinco após o seu encerramento, indo, assim, ao encontro de um anseio da população.