Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

Governo Regional reforçará apoio de emergência à cultura se necessário 

Presidente do Governo indicou que linha dirigida ao setor da cultura apoiou os agentes e associações culturais que a ela concorreram, tendo ficado por atribuir 40 dos 200 mil euros disponibilizados  16-10-2020 Presidência
Governo Regional reforçará apoio de emergência à cultura se necessário 

“A cultura popular está intrinsecamente ligada à nossa ‘personalidade’ coletiva e, obviamente, nós temos que assumi-la de forma transparente, aberta e sem qualquer preconceito, apoiando os seus divulgadores, aqueles que todos os dias trabalham para a sua preservação e para a sua divulgação”, disse o hoje o Presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, por ocasião da apresentação do Curso de Pós-graduação em Património Cultural Tradicional e Popular, que decorreu no Auditório do Centro de Estudos de História do Atlântico. 

Miguel Albuquerque vincou a importância do trabalho de pesquisa, de investigação e de divulgação, realizado por diversos agentes, que se dedicam à cultura popular, sublinhando que a eles se deve a retificação de adulterações ocorridas nos anos 70. 

Paralelamente, o líder do Executivo disse estar ciente do sentimento de um certo desânimo que atravessa os diversos agentes culturais, incluindo os grupos de folclore, devido às repercussões da atual crise pandémica na área da cultura. 

“As rotinas de atuações e de amostragem do trabalho realizado estão ultra condicionadas”, disse o Chefe do Governo. 

“E, obviamente, isso tem implicações também nas próprias receitas das associações”, reconheceu. 

Nesse sentido, o governante lembrou que o seu Executivo abriu uma linha de apoio aos grupos de folclore e associações da área da cultura, enfatizando que todos quantos concorreram foram apoiados, tendo ficado ainda quase 40 mil euros por atribuir. 

“Eu quero dizer aos grupos que têm toda a legitimidade para se socorrerem desta linha neste período excecional. E, se for preciso, nós reforçamos, no sentido de garantir que a nossa cultura não vai abaixo nestas circunstâncias”, concluiu. 

Referir que o Curso de Pós-graduação em Património Cultural Tradicional e Popular resulta de uma parceria entre a AFERAM – Associação de Folclore e Etnografia da Madeira, o Instituto Piaget (ISEIT de Almada - Ensino Universitário) e a Federação do Folclore Português, tendo por objetivo dotar os agentes culturais ligados ao folclore e à cultura tradicional de bases académicas para uma abordagem científica a este campo do conhecimento. 

A pós-graduação conta com 26 alunos inscritos.