Este site utiliza cookies para uma melhor experiência de navegação. Ao navegar está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies aqui.
Pesquisar

SESARAM cria Pé Diabético na RAM

Os utentes acompanhados pelo Serviço de Saúde da RAM vão passar a dispor de um novo espaço para o tratamento do “Pé Diabético”. 22-01-2019 Saúde
SESARAM cria Pé Diabético na RAM Os utentes acompanhados pelo Serviço de Saúde da RAM vão passar a dispor de um novo espaço para o tratamento do “Pé Diabético”. 

Os trabalhos para a criação deste espaço, que funcionará em regime de ambulatório, no 1º piso do Hospital Dr. Nélio Mendonça, iniciaram-se, dia 22 de janeiro, e devem estar concluídos até ao final do primeiro trimestre de 2019.

Na RAM estima-se que sejam cerca de 26 mil doentes diabéticos. São acompanhados ao nível dos cuidados primários e pelo Serviço de Endocrinologia. Contudo, estes doentes desenvolvem diversos problemas do pé que, se não forem tratados, podem causar complicações graves.

 

O Pé Diabético é uma das complicações mais graves da Diabetes Mellitus, sendo o principal motivo de ocupação de camas hospitalares pelos diabéticos e o responsável por 40 a 60% de todas as amputações efetuadas por causas não traumáticas.

A existência de um espaço em ambulatório para o tratamento do “Pé Diabético”, no 1º piso do Hospital Dr. Nelio Mendonça, terá um impacto muito positivo na resposta aos doentes (são realizados os cuidados curativos e o doente volta a casa) e ao mesmo tempo irá permitir a redução dos custos que estes doentes acarretam ao nível dos cuidados intra-hospitalares, uma vez que irá permitir uma redução significativa no número de internamentos. A criação de um ambulatório especializado para este tipo de atendimento visa melhorar a resposta aos utentes, diminuir o tempo de internamento e reduzir o número de entradas no Serviço de Urgência Hospitalar.

Refira-se que muitos doentes portadores do “pé diabético” são internados por necessidade de cuidados curativos, resultando em longos períodos de internamento, pelo que a abertura de um espaço em regime de ambulatório, irá possibilitar uma melhor resposta aos utentes em conformidade com as necessidades, com menores custos em saúde.
 
Importa sublinhar que desde 2015 existe um forte empenho nomeadamente nos cuidados de saúde primários ao nível da prestação de cuidados curativos e, sobretudo, em matéria de educação e prevenção. Ao nível intra-hospitalar, este atendimento em ambulatório será assegurado por uma equipa multidisciplinar, coordenada pela médica-cirurgiã, Lídia Ferreira. Ao nível da vertente de apoio direto aos cuidados primários este trabalho é da responsabilidade da médica endocrinologista, Margarida Ferreira, em articulação com os respetivos diretores de serviço.
 
Nos anos de 2017 e 2018 foram realizadas várias reuniões de trabalho na Secretaria Regional da Saúde e no SESARAM cujo o principal objetivo foi delinear a estratégia de atuação ao nível do tratamento do pé diabético na RAM. Nestas reuniões de trabalho participaram os profissionais de saúde envolvidos neste projeto, de criação de um espaço para o pé diabético na RAM.