“Cartas no Intervalo da Guerra” é o primeiro livro do projeto “Memórias”

Obra será apresentada publicamente amanhã no auditório do Centro de Estudos de História do Atlântico 01-07-2015 Economia, Turismo e Cultura
“Cartas no Intervalo da Guerra” é o primeiro livro do projeto “Memórias” O livro “Cartas no Intervalo da Guerra” será apresentado publicamente na próxima quinta-feira, dia 2 de Julho, pelas 18 horas, no auditório do Centro de Estudos de História do Atlântico (CEHA), sito à Rua das Mercês, nº 8.
A obra, a primeira a ser compilada e publicada no âmbito do projeto “Memória (das histórias das gentes que fazem história)”, que está a ser desenvolvido pelo CEHA, baseia-se na correspondência trocada durante cerca de um ano, entre António Loreto e Maria Adelaide, ele no Tombôco, em Angola, a cumprir o serviço militar, ela madrinha de guerra, a viver, com os pais, na Ponta de Sol. Ao longo de 206 cartas e 6 aerogramas, em tempo de guerra colonial, os dois jovens madeirenses, que mais tarde se viriam a casar, projetam a vida, o futuro, a família que, sem se conhecerem pessoalmente, sonham construir. 
O livro, “Cartas no Intervalo da Guerra”, agora publicado, conta com textos de Cláudia Faria e Graça Alves.  
A apresentação desta obra contará com a presença da Sub-diretora Regional de Cultura, Carina Bento, assim de António Loreto e Maria Adelaide, protagonistas destas “Cartas”.


Anexos

Descritores