Protocolo potencia comércio com a China

O Vice-Presidente do Governo Regional da Madeira salientou, esta manhã, a importância de ter sido formalizado, esta quinta-feira, um protocolo de cooperação entre a Região e a China Europe International Business Association. Pedro Calado, que começou por felicitar o trabalho da Invest Madeira para a concretização deste acordo, destacou o potencial do mesmo, no reforço da internacionalização de alguns bens de produção regional. 19-07-2018 Vice-Presidência
Protocolo potencia comércio com a China

Neste momento, segundo o vice-presidente do Governo Regional, “a Madeira tem atravessado um período muito positivo, de grande crescimento económico nos últimos dois anos, após um período de dificuldade sentido pela Região, pelo país e pela Europa. Mas, soubemos dar a volta e por a Madeira na rota do investimento, não apenas investimento público, mas alavancando o investimento privado”.

A Região, disse Pedro Calado, “já está a atrair investimentos internacionais, temos empresas internacionais a quererem se instalar no Centro Internacional de Negócios da Madeira, algumas já a desenvolverem aqui as suas atividades, a criarem postos de trabalho, a trazerem também mão-de-obra qualificada”.

Este protocolo é, também por isso, uma janela de oportunidade, abrindo as portas para “um mercado como a China, que é a segunda maior potência económica mundial, é uma das maiores importadoras e exportadoras do mundo, e tem uma população que é quase um quinto da população mundial. O que, para uma região como a nossa, com 265 mil habitantes, é trazer um grande potencial de investimento muito grande”.

Hoje, acrescentou o vice-presidente do Governo Regional, “nós temos muito boas condições económicas para atrair qualquer região ou qualquer investidor a permanecer aqui na Madeira. Temos uma economia muito forte, a crescer anualmente acima dos 2,5%, 2,2% e 2,4%. Temos tido taxas de crescimento da economia acima dos valores médios nacionais. Temos as nossas contas públicas consolidadas. Temos sido a única região do país a contribuir positivamente para a redução do défice a nível nacional”.