“Pensar global implica pensar digital”

Governo Regional celebrou dois protocolos no sentido de dotar a Região dos instrumentos necessários para responder às ameaças que o ciberespaço comporta e exorta os empresários madeirenses a se posicionarem como atores globais para poderem concorrer num Mercado único Digital. 01-02-2019 Vice-Presidência
“Pensar global implica pensar digital”

O Vice-presidente do Governo Regional, Pedro Calado, salientou hoje, na cerimónia de Encerramento da MadCyberWeek 2019, que as empresas da Madeira têm de se posicionar como atores globais para poderem concorrer num Mercado Único Digital, estratégia definida pela União Europeia para os próximos anos.

De acordo com o governante, a transformação dos atuais 28 mercados comunitários num único poderá representar um contributo de 451 milhões de euros por ano para a nossa economia e criar centenas de milhares de novos empregos.

Lembrando que a Região tem investido no apoio ao tecido empresarial com vista à internacionalização, Pedro Calado realçou que agora é preciso pensar os negócios no ambiente digital.

“Pensar global implica pensar digital”, realçou o Vice-presidente, lembrando, todavia, que a massificação destas ferramentas constitui, por outro lado, uma oportunidade ao aparecimento de novas e diversificadas ameaças, como a cibercriminalidade e a ciberespionagem.

Neste sentido, garantiu Pedro Calado, o Governo Regional está empenhado em dotar a Região com os instrumentos necessários para responder às ameaças que o ciberespaço comporta. Para tal, a Vice-presidência assinou um Protocolo com o Centro Nacional de Cibersegurança, no sentido de estabelecer as formas de cooperação no desenvolvimento das capacidades nacionais de cibersegurança, troca de conhecimento e no aprofundamento mútuo das capacidades de cibersegurança.


Anexos

Descritores